é. é punk mesmo.

Publicado: maio 18, 2011 em blá blá blá
Tags:,
Anúncios

perdas e ganhos

Publicado: abril 25, 2011 em blá blá blá
Tags:, , ,

“grandes expectativas geram grandes decepções”


por isso mantenha sua cabeça concentrada no que é real: você mesmo.

eles

Publicado: abril 24, 2011 em blá blá blá
Tags:

meus amigos são o meu farol para a sanidade

, ou não 😉

briga consigo mesmo

Publicado: abril 19, 2011 em blá blá blá
Tags:

Uma vez um amigo me disse que tudo era culpa do ego, que vivíamos para satisfazê-lo. Mas até mesmo ele, que tinha consciência disso, acabou por escolher a satisfação.

Eu ainda penso nisso, e penso em como manter meu ego à milhas de distância de tudo. É difícil e complicado, pois o ego está sempre querendo que seus desejos sejam cumpridos.

É o ego que move nossas angústias, decepções, aflições e também é o mesmo que se revolta quando não é atendido. Alimentá-lo é fazer sempre sua vontade, ir apenas a favor de si. Só que quando terminamos essa satisfação, em seguida, logo em seguida, vem o pleno vazio.

Essa é a essência do ego, um vazio sem fim. Nunca satisfeito e sempre nos colocando à mercê.

O meu não consigo domar por muito tempo. Quando menos espero, está ele de novo lá, gritando, berrando, querendo ser ouvido, querendo que eu acredite que o que ele diz é certo. E até é, só que só será certo por pouco tempo, enquanto ele ainda quiser aquilo. E o depois? Nunca satisfeito, buscará outra coisa pra incomodar.

Meu ego é péssimo nas suas escolhas. Quer sempre o mais caro, ou o mais difícil, ou o mais complicado ou o mais dolorido. Conviver com ele é conviver com um dragão – não adormecido – pois sussurra diariamente pelo que quer até finalmente me deixar surdo enquanto não lhe dou atenção.

Ego, por favor. Deixe-me viver um pouco e contente-se com o que tem. É o bastante, para você e para mim.

Fazia tempo que não gostava tanto de uma música…

lembre-se que a Terra é um lugar muito grande e que provavelmente você não conhece nada, ainda

(foto: El Misti – Peru – National Geographic)

(foto: Monument Valley – Estados Unidos – National Geographic)

(foto: Yunnan – China – National Geographic)

(foto: Mar Vermelho – Egito – National Geographic)

(foto: Moraine Lake – Canadá – National Geographic)

post inspirado pela poesia do Abîsme des Oiseaux

um novo começo

Publicado: dezembro 20, 2010 em blá blá blá
Tags:

Você tem a nítida sensação do fim, quando se chega nele. E a dor é proporcional a toda a intensidade da demanda. Ao mesmo tempo que algo que quebra, dentro de si se percebe outra coisa escondida.

Como se tivesse quebrado apenas uma casca. E por dentro dela, crescia uma outra possibilidade. Essa coisa nova, fresca, repleta de cor, textura e sabor está pronta para ser degustada.

E agora? O que muda? Tudo! Você é outra pessoa, sua perspectiva é outra e está tudo novamente diferente. Renascido. Pronto para um novo plantio, um novo crescimento e uma nova colheita.

Desta vez, com frutos mais maduros, tenros e suculentos.
Enjoy!